Configurações da Integração Contínua

 

Este guia pretende ajudar nas configurações técnicas do processo de Integração Contínua. Entendido como acontece o Processo de Integração Contínua, seus benefícios, as restrições e qual o nível de maturidade da IC adequado ao projeto, é necessário solicitar a equipe da ATI a adesão ao processo:

 

Solicitar um chamado através do link: https://www.csati.ati.pe.gov.br para configurar os servidores e criar principais acessos.

 

 

Depois da solicitação do CsATI ser finalizada e a equipe da ATI ter analisado o projeto é necessário realizar as configurações abaixo de acordo com o nível de maturidade indicado pela equipe da ATI:

 

  1. Para se atingir o nível de maturidade 0 (GIT e Redmine):

    1. Criar projeto no GIT: Usar como referência o Guia do GIT, observando como se deve realizar a distribuição das Branches, o uso dos arquivos e estruturas de um projeto, entre outras informações que estão contidas no Guia do Git-PE;

    2. Será criada uma nova instância do Redmine para o órgão/secretaria com as configurações usadas no Processo de Trabalho da GAS. Caso a entidade utilize o Redmine ou o fluxo de trabalho interno não se encaixe no fluxo da ATI, deverá ser comunicado e conversado com a equipe da ATI;

    3. O Módulo Repositório do Redmine deve estar habilitado.

 

  1. Nível de maturidade 1 (Jenkins + JFrog + Flyway):

    1. A Fábrica de Software necessita configurar o Maven para fazer o deploy no Jfrog através do comando abaixo inserido no arquivo pom.xml:

 

    1. Configurações do Flyway:

O arquivo pom.xml deve conter o seguinte trecho de código (atenção para fazer as alterações necessárias):

 

Os arquivos com os scripts de Banco de Dados devem ser armazenados em uma pasta denominada db/migration:

 

Seguindo o seguinte formato de nomenclatura:

 

 

Mais detalhes: https://flywaydb.org/documentation/migration/